Respire fundo

As vezes temos que parar para medir a temperatura, verificar a pressão, respirar fundo e seguir em frente.

Winners never quit and quitters never win. Vicente Lombardi

Já quebrei o dedo da mão esquerda, faço parte desta lista e uma parte do meu dedo quase caiu no chão. Ele foi esmagado contra a porta, ainda na infância, mas lhe privarei dos detalhes… eu saí às pressas a procurar dos meus pais que no horário do almoço pegaram o “nosso” Fiat Uno vermelho escuro – uma relíquia familiar que levou tanto tempo para ter o seu documento transferido que nunca mais nos abandonou.

No século XVI não seria tão desagradável como foi. Naquela época os canhotos eram considerados estranhos e se não trocassem de mão para praticar as suas habilidades poderiam ser considerados um zero a esquerda. Um adjetivo qualquer. Os criminosos poderiam ficar sem a mão, mas eu não. O próprio Leonardo, o da Vinci, meu parceiro lefty hand teve suas dificuldades como canhoto. Eu quase perdi o dedo.

No caminho do hospital ninguém pensava em quanto daria a conta, mas fomos para a emergência municipal. Sem problemas, apesar dos gritos e fila, a emergência estava lotada, um sol escaldante – ninguém abandona ninguém – passou logo. Mas foi uma eternidade para a minha cabeça infantil e então fui chamado pelo jovem de branco para a sala de emergências. 

Eu não queria mais aquilo. O jovem costurou, arrancou a unha, seringou – mas eu pude sentir o movimento – Que desgraça! Lembro-me como se fosse hoje.

Só respirei aliviado mas nunca soube da conta. Alguém pagou por ela, talvez o estado. Eu não tinha estado para perguntar, só agradeço aos meus pais pelo senso de urgência e carinho necessário em uma hora dessas. A culpa foi toda minha, e foi assim que na infância aprendi a lidar com a  minha raiva.

Quando a “coisa” acabar estaremos respirando aliviados.
 

Por enquanto é crise atrás de crise, o mundo caindo aos pedaços, empresas endividadas e entrando com pedidos de recuperação e falência. Não é uma exclusividade nossa. Nos EUA acontece o mesmo, apesar de eles terem mais carvão.
 

Quanto mais tempo leva mais quebrados os governos mundiais estarão. Os casos de COVID não param de aumentam – mesmo com o calor. Enfim, não sabemos se o governo conseguirá pagar a conta – que eu acho que não – se ele está tentando evitar a iatrogenia, ou se está jogando a conta para você.

Vida privada, vida fechada, ninguém respira no elevador, ninguém espirra. Tirar a máscara é perigoso. Entrar sem é um crime.

Quando é uma situação de emergência você nem sabe quanto custará, quer mais é fazer a cirurgia e salvar o vivente, depois você vê quanto deu e dá um jeito de pagar. Se não for o governo, será você mesmo com inflação… 

E é isto que os governos estão fazendo, ainda estamos no meio de uma emergência e as doses não tem sido suficientes para estancar a sangria, não estamos nem no meio da cirurgia.
 

Mais do que nunca, você precisará aprender a investir o seu dinheiro e estar aberto a novas oportunidades e o iInvestors está lançando nos próximos dias o seu curso rápido, Aprenda a Investir na Bolsa. Precisamos continuar, respirar fundo, seguir em frente. Vencedores nunca desistem, encontram novas oportunidades.
 

Abraço
 

Marcelo.

About the author: Marcelo Marini Studant PRO

The uncommon wisdom of business, economics, and finance can define your financial and family wealth. Includes more than 300 newsletters with daily and weekly updates available to read and learn now.

To the full experience, become a member ---> https://factual.money

Factual Wealth Newsletter & Podcast are currently read and listened to in the United States, Europe, Asia, and South America.

Read my column:
https://factual.money/marcelo-marini-dairy/

Free Newsletter:
https://factual.money/subscribe/