O Caminho da Prosperidade

Semana X no Litoral de Santa Catarina, Brasil.

A Route 66 era a rota dos sonhos, dos desafios dos jovens americanos nas décadas de 50 e 60 e ficou marcada como um ícone do espírito norte-americano e dos que buscam alcançar a liberdade.

Um caminho feito apenas de sonhos e idealizações. Diferente do caminho da prosperidade.

Sempre partimos de algum lugar. Mas que não seja um caminho só de sonhos.

Recentemente tenho assistido com a R. uma mini-série no Netflix chamada Nosso Planeta do David Attenborough, não queria deixar de recomendar para você.

O humano tem o privilégio de ser um espectador e poder errar. Lembro da viagem à África, os dias observando a natureza onde uma falha poderia significar a morte de um ser. Nós nos acordávamos por volta das 4h30 da manhã para assistir o game. Para nós era apenas excitação do observador, para eles o risco da caça e do caçador. O coração acelerava…

Como viemos conversando nas últimas semanas, errei um bocado, interrompemos os erros para falarmos em acertos. Vou retratar para você o que eu chamo de oportunidades escondidas no cotidiano.

Sou talvez a 4ª ou 5ª geração de um família de empresários imigrantes austríacos italianos. Entendemos que nada é conquistado sem dedicação e que risco e a incerteza estão sempre presente na vida.

O Safári para mim foi a maior retratação da vida real.

Na Nosso Planeta, tudo isso fica retratado de forma sútil, assista.

O silêncio é o companheiro do sábio.

Compartilho com você fragmentos do caminho da prosperidade, a edição 58. Boa leitura.

25 de Novembro de 2020 – Ano 2 – Edição 0058 – KPI Publicações – Autor: Marcelo Marini

Já vimos muita coisa acontecer aqui nesta coluna quinzenal (conteúdo de assinantes). Começamos nossas publicações com o mundo sem crise, passamos por mares turbulentos e agora estamos suspirando aliviados em vista das novas vacinas?

“…

Que ano!

Iniciamos o ano com a guerra comercial e fomos os primeiros a alertar você da transição de modelo econômico mundial do Petróleo para às energias renováveis, alertamos sobre o que era preciso fazer para não perder dinheiro – se proteger, ainda com eventuais ganhos – durante a COVID, recomendamos fechar as mãos e os bolsos, lá no início, pois iria levar muito mais tempo do que se esperava, recomendávamos, ainda muito cedo que os empresários começassem a preparar suas contingências pois as quedas seriam bruscas nos negócios tradicionais. Parei para fazer contas e quando diziam que a COVID iria até junho ou julho eu já falava em dezembro e que para voltar ao normal levariam anos.

Ganhando dinheiro com proteção

Fomos um dos primeiros se não os primeiros a alertar que o dólar poderia chegar a R$6, e com isto muita coisa passava a fazer sentido, da mesma forma alertávamos da importância de se ter investimentos diversificados, não só em imóveis, não só em bolsa, mas de uma carteira inteligente. O Ouro, Prata, Dólar e Criptos voaram neste período e quase que concomitantemente informamos sobre o Novo Mundo – a antecipação da digitalização – que fez com que o Zoom (que já usamos aqui na empresa a mais de anos) ficasse popular e vira-se sinônimo de reunião digital. Neste momento tudo o que era digital despontava e nós felizes por antecipar está tendência secular, estamos só no começo.

Tendências

Voltei de Gramado e escrevi em primeira mão sobre como era o turismo durante a COVID e como os mercados poderiam reagir com uma retomada econômica, demorou um mês e eu já estava no Litoral de Santa Catarina (da sala de estar – de onde eu escrevo agora) quando o turismo regional começou a mostrar recuperação, as pessoas viajando durante a COVID e os setores de imóveis, shoppings centers, restaurantes voltando a apresentar uma retomada nos negócios. Dito e feito.

Eleições

Evitei comentar em eleições, isto é muito complexo para um empresário… preferi falar em volatilidade em virtude das polaridades, conforme eu já vinha alertando desde janeiro que iria acontecer neste período. O resto é história.

Pós-Eleições e Vacina

Bom e agora? Eleições, ainda podem mudar mais a priori seguirá como está hoje. O que mais me preocupa é a eficácia das vacinas, não confio nos números que estão por aí, a amostra é pequena. Ainda poderemos ter novos problemas relacionados a COVID (novas doenças ou novos sintomas), eficácia das vacinas, eficácia da manutenção das vacinas em uma temperatura necessária, falta de logística e distribuição, critérios de distribuição, nova COVID (mais forte) e o fato de muita gente não querer tomar a vacina… ainda somado à possibilidade que cada vez que os aeroportos internacionais reabrirem a contaminação volte a ressurgir (fruto de alguma má intenção internacional)… este assunto deverá nos acompanhar por anos, pensando isto me preparo melhor…

Crise Econômica ou Bolsa a 200 mil pontos?

…”

No livro O Homem Mais Rico da Babilônia um trecho fala que a sorte está nas mãos dos buscadores.

Continuemos.

Na segunda-feira gravarei um Podcast especial sobre a COVID e as vacinas com a nossa opinião nada convencional e um convidado internacional… vou compartilhar neste link.

Stay tuned…

Marcelo.

About the author: Marcelo Marini PRO

https://factual.money/marcelo-marini-diary

Get involved!

Member's Area

Comment

No comments yet